As cirurgias otorrinolaringológicas realizadas em crianças são, na maioria das vezes, realizadas na parte da manhã, uma vez que o período de jejum requerido para anestesia geral é de oito horas. As cirurgias otorrinolaringológicas realizadas em crianças são, na maioria das vezes, realizadas na parte da manhã, uma vez que o período de jejum requerido para anestesia geral é de oito horas.

A criança deverá ser despertada com tempo suficiente para que os preparativos para deixar sua residência sejam feitos sem pressa ou angustia. A criança não deverá em nenhuma hipótese ingerir qualquer tipo de alimento ou líquido, inclusive água. A ingestão poderá causar problemas na anestesia, logo, a cirurgia será adiada nessa situação. A omissão dessa informação na visita do anestesista, momentos antes da cirurgia, poderá causar problemas, muitas vezes irreversíveis durante a operação.

A família deverá levar todos os exames realizados no pré-operatório (sangue, urina, risco cirúrgico, radiografias, tomografias, audiometrias, etc). É interessante levar roupa confortável e algo que ajuda a tranqüilizar a criança como livros, brinquedos, mamadeira, chupeta, etc. Não esquecer de levar a guia de internação do plano de saúde ou convênio. A criança não deverá portar objetos metálicos, como brincos e pulseiras, e a roupa íntima deve ser de algodão, não podendo, de maneira alguma, ser de Lycra ou material sintético.

A chegada ao hospital deverá ser realizada impreterivelmente no horário determinado pelo médico, uma vez que os responsáveis deverão entregar a guia de solicitação de cirurgia, devidamente autorizada, ou a senha de autorização do procedimento, no setor de internação do hospital. Nesse momento, muitas vezes, faz-se necessário o contato dos atendentes com o plano de saúde para confirmação de alguns dados. Esse procedimento pode demorar alguns minutos. Depois o paciente é avaliado pela enfermagem do hospital e, algumas vezes, por um pediatra, e encaminhado ao quarto.

A criança deverá, nesse momento, ser preparada para a cirurgia. A criança que não tiver tomado banho em casa é encaminhada para higienização adequada. A enfermagem fornece roupa adequada (roupa especial, gorro e sapatilha), orientações pertinentes ao momento.

O anestesista fará uma visita ao quarto para avaliação da criança, uma verificação dos exames que achar necessário, e esclarecerá dúvidas dos pais. Muitas vezes ele irá prescrever algum medicamento para deixar a criança mais tranqüila.

O médico otorrinolaringologista fará uma rápida visita ao quarto para cumprimentar a criança e os pais, e oferecer tranqüilidade. Nesse momento não deverá existir mais qualquer dúvida, uma vez que foi oferecido tempo suficiente para os esclarecimentos em consultas prévias.

A criança é enfim encaminhada ao centro cirúrgico. Durante o trajeto a criança deverá ser acompanhada pelos pais, a fim de que se sinta tranqüila e confiante. Por mais angustiante que possa ser esse momento os pais devem evitar demonstrar medo e insegurança. A criança será entregue à enfermagem e ao otorrinolaringologista na porta do centro cirúrgico. Os pais deverão permanecer no quarto onde serão avisados do andamento da cirurgia.